Clicky

MetaTrader 728×90

Faltando poucas horas para o fim das negociações nos mercados acionários globais neste último útil de 2016 ninguém quer arriscar mais nada. Por conta disso, os mercados operam sem direção, com ajustes, baixa liquidez e já com o radar em 2017.

Na Ásia, os dados do setor imobiliário dos Estados Unidos divulgados nesta quarta-feira (28) pesaram no humor dos investidores.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

No Velho Continente, as atenções estão voltadas para os papéis dos bancos, em especial os da Itália, que seguem na mira da Justiça norte-americana e outros esperando injeção de recursos do Banco Central Europeu (BCE).

Nos Estados Unidos, os indicadores do setor de trabalho também surpreenderam. A queda nas solicitações do auxílio-desemprego foi de 10 mil, acima do esperado pelos analistas.

Por aqui, o desemprego segue aumentando com 12,1 milhões de pessoas, 11,9%. Este é um dos maiores problemas enfrentados pelo Governo Federal.

A taxa de desocupação e o contingente de pessoas são os mais altos da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012 .

Os dados divulgados hoje pelo IBGE são semelhantes aos do trimestre móvel imediatamente anterior (junho a agosto), quando a taxa de desocupação fechou em 11,8%. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, foi registrada uma alta de 2,9 pontos percentuais.

Já o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), que reajusta os aluguéis, apresentou variação acumulada de 7,17% entre janeiro e dezembro deste ano. Em 2015, no mesmo período, a alta foi de 10,54%. Os dados foram divulgados pela FGV/IBRE.

Este mês, a alta foi de 0,54% e, em dezembro do ano passado, a variação havia sido de 0,49%. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou taxa de variação de 0,69%. No mês anterior, a taxa foi de -0,16%.

Do lado acionário, a Bovespa opera em queda e o dólar comercial acompanha.

Há pouco, no interbancário, a divisa era negociada a R$3,263 para a compra e R$3,265 para a venda, queda de 0,47%.

ÁSIA

As bolsas da Ásia fecharam sem direção nesta quinta-feira, com as últimas negociações de 2016, refletindo os dados do setor imobiliário dos Estados Unidos.

Ao final, o Índice MSCI Asia Pacific ficou em alta de 20%. O índice Asia Dow ficou em queda de 0,16% aos 2.919 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng ficou em alta de 0,17% aos 21.790 pontos. Na China, o índice SSE Composite, da bolsa de Xangai ficou em queda de 0,20% aos 3.096 pontos. Na Coreia do Sul, o índice Kospi ficou em alta de 0,10% aos 2.026 pontos. Na Índia, o índice BSE da bolsa de Bombai ficou em alta de 0,59% aos 26.366 pontos. O índice Nikkei 225 fechou em queda de 1,32% aos 19.135 pontos.

As vendas de casas usadas caíram em novembro para seu nível mais baixo em quase um ano, já que o rápido aumento das taxas de hipoteca e o estoque insuficiente desanimaram alguns compradores, de acordo com a Associação Nacional de Corretores de Imóveis. Somente o Nordeste viu ganhos de vendas pendentes mensais e anuais no mês passado. Os dados foram apresentados nesta quarta-feira.

O índice de vendas residenciais usadas,  um indicador baseado em fechamento de novos contratos, caiu 2,5% para 107,3 em novembro de 110,0 em outubro.

Depois da queda do mês passado, o índice está agora 0,4%, abaixo de novembro passado (107,7) e está em sua menor leitura desde janeiro (105,4).

EUROPA

As bolsas europeias operam no negativo nesta quinta-feira, acompanhando os demais mercados como Ásia e os resultados da sessão anterior em Wall Street. Os papéis dos bancos estão derretendo, com destaque para a crise do Monte dei Paschi di Siena.*

Perto do fechamento, em Londres, o índice Stoxx Europe 600 estava em queda de 0,25% aos 360,63, acumulando 2,76 pontos em mercado de touro. No ano, a queda está em 1,4% com os papéis dos bancos. Em Milão, o índice FTSE-MIB subia 0,03% aos 19.243 pontos. Em Madri, o índice Ibex 35 caía  0,35% aos 9.311 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX 30 caía 0,22% aos 11.449 pontos. Em Paris, o índice CAC 40 caía 0,16% aos 4.840 pontos. Em Londres, o índice FTSE-100 recuava 0,10% aos 7.098 pontos. E, em Lisboa, o índice PSI-20 subia 0,20% aos 4.661 pontos.

Nas sessões de hoje, os bancos também estavam entre os maiores perdedores.

As ações do Credit Suisse AG caíram 2,2%, um dia depois que o Wall Street Journal informou que a Securities and Exchange Commission dos Estados Unidos está investigando o banco sobre uma venda de títulos de Moçambique.

O BNP Paribas , que também está sob investigação pela venda de títulos, caiu 0,9%.

As ações do Monte dei Paschi di Siena SpA BMPS perderam 7,48%, que foram novamente suspensas durante a sessão. Esse mesmo comportamento aconteceu em  23 de dezembro, quando o governo italiano concordou em resgatar o banco e depois admitiu não ter levantado os €5 bilhões (US$5,2 bilhões) como parte de um plano de resgate de última hora.

Os planos para ajudar o Monte dei terão que ser aprovado pela União Europeia assegurando que as regras relativas aos auxílios de estatais não sejam violados disse o membro do Conselho do Banco Central Europeu (BCE) Jens Weidmann.

Outros bancos italianos foram atingidos pela situação do Monte dei Paschi.

As ações do Banco Popolare SC BP recuaram 2,4%; o Banca Popolare di Milano Scarl PMI caiu 2,1%; e Unione di Banche Italiane SpA UBI, caiu 1,3%.

ESTADOS UNIDOS

Os índices de peso na Bolsa de Nova York abriram no azul nesta quinta-feira, com a reta final dos recordes com destaque para  Nasdaq e Dow Jones Industrial.**

Há pouco, Dow Jones estava em alta de 017% aos 19.866 pontos; o S&P estava em alta de 0,16% aos 2.253 pontos; e o Nasdaq em alta de 0,21% aos 5.449 pontos.

Para a semana encerrada em 24 de dezembro, os pedidos do auxílio-desemprego nos Estados Unidos, ajustado sazonalmente, ficaram em 265 mil, queda de 10 mil do nível revisado da semana anterior, 275 mil. A estimativa dos analistas era para 277 mil. A média móvel de quatro semanas foi 263 mil, queda de 750 da média não revisada da semana anterior, 263.750. Os números são do Departamento do Trabalho dos Estados Unidos.

De acordo com o órgão, não houve fatores especiais que afetaram os pedidos iniciais desta semana e marca 95 semanas consecutivas abaixo de 300 mil, a maior faixa desde 1970.

A taxa antecipada de desemprego foi de 1,5% para a semana que terminou em 17 de dezembro, inalterada em relação à taxa não revisada da semana anterior. O número antecipado de desemprego dessazonalizado durante a semana que terminou em 17 de dezembro foi de 2.102.000, alta de 63 mil em relação ao nível revisado da semana anterior.

O nível da semana anterior foi revisado para cima em 3 mil de 2.036.000 para 2.039.000. A média móvel de quatro semanas foi de 2.042.250, alta de 4.500 da semana anterior da média revisada. A média da semana anterior foi revista em 750, de 2.037.000 para 2.037.750.

BRASIL

A Bovespa, que operava em queda, dá sinais de recuperação no começo da tarde desta quinta-feira, com os investidores pegando carona nos demais globais e com Wall Street seguindo em mercado de touro. Os preços das commodities estão pesando na Vale e Petrobras.***

Há pouco, o Ibovespa estava em queda de 0,05% aos 59.755 pontos. O volume financeiro era de quase R$1 bilhão.

 

A Petrobras ON estava em queda de 1,12% e a PN, queda de 0,74%.
A Vale ON estava em queda de 0,56% e a PN, queda de 0,21%.

Hoje a BM&FBovespa  divulga a terceira prévia da carteira teórica do Índice Bovespa que vai vigorar de 02 de janeiro de 2017 a 28 de abril de 2017, com base no fechamento do pregão desta quarta-feira (28). A prévia do Ibovespa registra a entrada de Eletrobras ON (ELET3), totalizando 59 ativos de 56 empresas.

Os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Itauunibanco PN (10,640%), Bradesco PN (7,666%), Ambev S/A ON (7,156%), Petrobras PN (6,012%) e Vale PNA (4,665%).

Carteira teórica

Na carteira teórica, que vigora entre 05 de setembro de 2016 até o fechamento das negociações de hoje, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do Ibovespa estão Itauunibanco PN (10,594%), Ambev S/A ON (8,588%), Bradesco PN (7,955%), Petrobras PN (5,523%) e Petrobras ON (4,268%).

Commodities

O preço do petróleo do Texas (WTI, leve) para entrega em fevereiro abriu nesta quinta-feira em baixa de 0,15%, cotado a US$ 53,98 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex).

O barril de petróleo Brent para entrega em fevereiro abriu nesta quinta-feira no mercado de futuros de Londres cotado a US$ 56,19, em baixa de 0,05% em relação ao fechamento de ontem.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 0,31% aos US$80,43.

*** Informações completas no BOLETIM DE FECHAMENTO


Assuntos desta notícia