Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

(Texto atualizado com número de mortos e mais detalhes)
Por Andrew Innerarity
HOLLYWOOD, Estados Unidos/SAN JUAN, Porto Rico, 13 Set
(Reuters) – A polícia dos Estados Unidos abriu uma investigação
criminal sobre a morte de oito pacientes idosos dentro de uma
casa de repouso do sul da Flórida que ficou sem energia quando o
furacão Irma passou pela região.
O número total de mortos pela tempestade subiu para 81 nesta
quarta-feira, com várias ilhas caribenhas tendo mais da metade
das mortes, e as autoridades continuavam a avaliar os danos que
o Irma causou depois de atravessar o Caribe como um dos furacões
mais potentes já registrados no Atlântico e assolar o
arquipélago de Florida Keys com ventos contínuos de até 215
quilômetros por hora.
O Irma matou pelo menos 29 pessoas na Flórida, e mais sete
na Geórgia e na Carolina do Sul, disseram autoridades.
O governador da Flórida, Rick Scott, prometeu que o Estado
norte-americano investigará "agressivamente" como as pessoas
morreram no asilo durante a passagem do segundo grande furacão a
atingir o território continental dos Estados Unidos.
Cerca de 4,2 milhões de casas e negócios, ou cerca de 9
milhões de pessoas, estavam sem luz nesta quarta-feira na
Flórida e em Estados vizinhos.
A polícia iniciou uma investigação criminal no Centro de
Reabilitação de Hollywood Hills, onde três moradores idosos
foram encontrados mortos no local e outros cinco foram
encaminhados a um hospital próximo onde morreram mais tarde,
segundo autoridades.
"Trabalharei agressivamente para exigir respostas sobre como
este acontecimento trágico aconteceu", disse Scott em um
comunicado. "Esta situação é incompreensível. Toda instituição
que esteja encarregada de cuidar de pacientes deve adotar todas
as ações e precauções para manter seus pacientes em segurança".
Mais de 100 residentes do asilo foram retirados nesta
quarta-feira, e outros 18 de uma instituição próxima que foi
esvaziada devido à investigação criminal, segundo autoridades de
Hollywood.
A polícia foi chamada ao local inicialmente perto das 4h30,
mas não chegou até as 6h, afirmaram.
O asilo estava sem ar condicionado, disse a prefeita do
condado de Broward, Barbara Sharief, aos repórteres nesta
quarta-feira.
"O edifício foi interditado e estamos realizando uma
investigação criminal no seu interior", informou o chefe de
polícia de Hollywood, Tomas Sanchez, aos repórteres. "Estava
muito quente no segundo andar".
A companhia elétrica da Flórida disse ter fornecido energia
a algumas partes do asilo de Hollywood, mas que este não estava
em uma lista prioritária de restauração de energia do condado.
O Irma provocou cerca de 25 bilhões de dólares em perda de
bens segurados, sendo 18 bilhões nos EUA e 7 bilhões no Caribe,
estimou a empresa de previsão de catástrofes Karen Clark & Co
nesta quarta-feira.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS TR


Assuntos desta notícia