Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

(Texto atualizado com mais informações)
WASHINGTON, 14 Jun (Reuters) – O presidente dos Estados
Unidos, Donald Trump, atacou nesta quinta-feira “democratas
sujos de Nova York” após a procuradoria-geral do Estado
processá-lo, três de seus filhos e sua fundação, dizendo que ele
usou a instituição de caridade como seu “talão de cheques
particular”.
Trump prometeu que nunca irá entrar em acordo no caso,
apresentado pela atual procuradora-geral, Barbara Underwood. O
presidente usou o Twitter nesta quinta-feira para culpar pela
ação “discípulos” do ex-procurador-geral Eric Schneiderman, que
renunciou em maio após quatro mulheres acusarem o ex-procurador
de abusos físicos.
"Os democratas sujos de Nova York e o agora desonrado (e
fugido da cidade) procurador-geral Eric Schneiderman estão
fazendo tudo que podem para me processar em uma fundação que
recebeu 18.800.000 dólares e deu para caridade mais dinheiro que
recebeu, 19.200.000. Eu não vou aceitar um acordo", escreveu
Trump no Twitter.
Underwood afirmou no processo que a Fundação Trump
participou de “extensa coordenação política ilegal” com a
campanha presidencial de Trump em 2016. O caso, apresentado na
Suprema Corte em Manhattan, segue uma investigação de 21 meses
que começou sob comando de Schneiderman.
Ela disse que a fundação participou de “auto-negociação
repetida e voluntariosa” para beneficiar os interesses pessoais,
comerciais e políticos de Trump, incluindo a compra de um
retrato de Trump por 10 mil dólares em um leilão beneficente,
usando-o para decorar um campo de golfe de Trump.
“A Fundação Trump era pouco mais do que um talão de cheques
para pagamentos do sr. Trump ou seus negócios para
não-lucrativos, independentemente de seu propósito de
legalidade”, disse Underwood em um comunicado. “Não é assim que
fundações privadas devem funcionar.”
Uma autoridade do órgão monitor Common Cause disse que a
investigação de Nova York forneceu detalhes de ações que também
podem violar uma proibição federal de campanhas canalizarem
“doações irregulares” através de organizações sem fins
lucrativos.
O processo busca uma restituição de 2,8 milhões de dólares
mais multas, um banimento de Trump de 10 anos como diretor de
uma organização sem fins lucrativos em Nova York e banimentos de
um ano para seus filhos.
A Fundação Trump classificou o processo como "política no
seu pior", dizendo que a instituição de caridade gastou mais do
que recebeu em doações.
(Reportagem de Doina Chiacu)
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS TR


Assuntos desta notícia

Join the Conversation