Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

(Texto atualizado com declarações e mais informações)
7 Mai (Reuters) – O presidente Michel Temer disse nesta
segunda-feira que conversou com o ex-presidente Fernando
Henrique Cardoso, do PSDB, sobre a possibilidade de uma
"candidatura única das forças governistas", voltou a admitir que
pode não ser candidato se houver um consenso de que o melhor
nome desse campo seria outro, mas avaliou que há um desejo de
continuidade.
"O presidente Fernando Henrique me procurou em casa na
terça-feira, no feriado, eu estava em São Paulo. Tivemos uma
longa conversa a respeito de uma candidatura única das forças
governistas, e até, não quero dar palpite, em relação às demais
candidaturas", disse Temer em entrevista à rádio CBN.
Além de Fernando Henrique, Temer disse ter conversado com o
presidente da Câmara e pré-candidato do DEM à Presidência,
Rodrigo Maia, com o ex-ministro Henrique Meirelles (MDB) e
"outros tantos" sobre a necessidade dessa candidatura única.
"Se nós conseguirmos encontrar uma única candidatura, isso é
útil para o país, naturalmente é útil para as forças
governistas, seja quem for", disse.
"Eu posso vir a ser (candidato), mas não tenho a menor
dúvida em abrir mão se num dado momento as correntes todas
disserem: a melhor figura para enfrentar essa eleição é fulano",
acrescentou.
Pouco depois, no Palácio do Planalto, o ministro da
Secretaria de Governo, Carlos Marun, que tem atuado como
porta-voz informal do governo, disse que a chance de Temer ser o
nome para representar nas eleições os partidos que têm
pensamento igual ou semelhante ao do governo é grande e "até
provável".
"Fica difícil você hoje começar um diálogo com uma
imposição, mas a possibilidade de o presidente Temer ser o nosso
candidato ela é grande e eu diria que até provável", disse Marun
a jornalistas.
Na entrevista à CBN, o presidente disse acreditar que não
será possível um candidato de centro ou centro-direita vencer a
eleição sem o apoio do governo.
"Acho que sem o apoio do governo e das teses do governo, é
impossível", disse Temer, acrescentando que muitas vezes falam
mal dele, mas que no fundo desejam que as urnas garantam um
governo de continuidade ao atual.
"Tive uma reunião com alguns deputados e um deles me disse:
'sabe presidente, eu estive num lugar, as pessoas muitas vezes
não querem você como candidato, mas querem o mesmo governo
Michel Temer no próximo governo'."
(Por Alexandre Caverni, em São Paulo; reportagem adicional
de Maria Carolina Marcello, em Brasília; edição de Tatiana
Ramil)
(([email protected]; 5511 56447765; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia