Clicky

MetaTrader 728×90

Por Stephen Nellis
SAN FRANCISCO, 5 Jan (Reuters) – A Apple vai fazer
um reparo no navegador Safari em seus iPhones, iPads e
computadores Mac dentro de alguns dias, disse a empresa na
quinta-feira, após grandes fabricantes de chips terem revelado
falhas que deixam quase todos os dispositivos modernos
vulneráveis a hackers.
Os fabricantes de navegadores Google , Microsoft
Corp e Mozilla, do Firefox, confirmaram à Reuters que
os ajustes disponíveis no momento não protegem os usuários do
sistema iOS.
Sem a correção do Safari e de praticamente todos os outros
navegadores populares, centenas de milhões de usuários de iPhone
e iPad podem não ter segurança para navegar na web até que a
Apple faça seu reparo.
Apple enfatizou que não há até o momento casos conhecidos de
hackers aproveitando-se da falha no sistema.
Na quarta-feira, o Google, da Alphabet , e outros
pesquisadores de segurança revelaram duas grandes falhas em
chips, uma chamada Meltdown, que afeta apenas chips da Intel
, e a chamada Spectre, que afeta quase todos os chips de
computadores produzidos na última década.
A notícia provocou um movimento de venda das ações da Intel,
enquanto investidores tentam avaliar os custos para a produtora
de chips.
Em uma declaração em seu site, a Apple disse que todos os
computadores Mac e dispositivos que rodam o sistema iOS foram
afetados pelas falhas Meltdown e Spectre. Mas a mais recente
atualização do sistema operacional para computadores Mac, TVs
Apple, iPhones e iPads protege os usuários contra o ataque
Meltdown e não deixa os dispositivos mais lentos, acrescentando
que o problema não atinge o Apple Watch.
Os computadores Mac e os dispositivos iOS são vulneráveis a
ataques do Spectre por meio de um código que pode ser executado
em navegadores da web. A Apple disse que vai disponibilizar um
ajuste do navegador Safari para esses dispositivos "nos próximos
dias".
Pouco depois de os pesquisadores divulgarem as falhas nos
chips na quarta-feira, o Google e a Microsoft divulgaram
declarações alertando os usuários sobre quais produtos foram
afetados. O Google disse usuários dos telefones Android – mais
de 80 por cento mercado global – foram protegidos por
atualizações de segurança mais recentes.
A Apple manteve o silêncio por mais de um dia sobre o
destino de centenas de milhões de usuários de seus iPhones e
iPads. Ben Johnson, cofundador e estrategista-chefe da empresa
de segurança cibernética Carbon Black, disse que o atraso na
atualização de clientes sobre se os dispositivos da Apple estão
em risco pode afetar o esforço da companhia para que mais
clientes empresariais adotem seu hardware.
((Tradução Redação São Paulo, +5511 5644 7719))
REUTERS RBS GM


Assuntos desta notícia