Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Joyce Lee
SEUL, 13 Fev (Reuters) – A amiga da ex-presidente
sul-coreana Park Geun-hye que esteve no cerne de um escândalo de
tráfico de influência que abalou a elite econômica e política da
Coreia do Sul foi condenada a 20 anos de prisão, informou um
tribunal de Seul nesta terça-feira.
A corte também sentenciou o presidente do conselho do Grupo
Lotte, o quinto maior conglomerado do país, a dois anos e seis
meses de prisão no mesmo caso.
Choi Soon-sil, uma confidente de Park, foi condenada por
receber subornos de conglomerados sul-coreanos, incluindo a
Samsung, a maior fabricante mundial de smartphones e
semicondutores, e o Grupo Lotte.
Park sofreu um impeachment em março passado e está sendo
julgada separadamente por acusações de suborno, abuso de poder e
coerção. Ela nega qualquer irregularidade.
O presidente do conselho do Grupo Lotte, Shin Dong-bin,
estava no tribunal no momento do veredicto e foi posto sob
custódia.
"Seu ato acabou com as esperanças e a fé da comunidade e do
povo… oferecer subornos fere a justiça da sociedade", disse
Kim Se-yun, o juiz que presidia a sessão.
A prisão de Shin cria um vácuo de liderança na Lotte, uma
gigante com 102 bilhões de dólares em ativos que acumula
prejuízos em suas operações na China.
(Reportagem adicional de Ju-min Park e Jane Chung)
((Tradução Redação Brasília, 55 61 3426 7029))
REUTERS RB


Assuntos desta notícia

Join the Conversation